A luta pelo “corpo perfeito”, os riscos, as dicas e as vitórias alcançadas

Foto ilustrativa

Foto ilustrativa

Uma saga é o que pode se explicar a busca incessante pela beleza, na tentativa de ter o corpo perfeito. O desejo incansável tem movido milhões de pessoas pelo mundo, movimentado um comércio de aparelhos ligados à prática esportiva, roupas e utensílios para figurar num mundo restrito, que em muitos casos, esquece princípios básicos de uma boa alimentação, fidelidade aos treinamentos, que se não forem seguidos à risca, podem colocar vidas em risco.

Diante desta “bolha”, o CadaMinuto foi em busca de quem sofreu, quem recomenda e os vitoriosos que escolheram mudar de vida da melhor forma, conseguindo obter uma vida saudável e de forma paliativa chegar ao objetivo do bem estar.

Nos dias atuais o número de pessoas que procuram especialistas e academias para conseguir emagrecer ou delinear as curvas em academias cresceram. Porém uma grande quantidade de pessoas ainda recorre aos métodos mais fáceis além das famosas dietas caseiras, feitas por conta própria.

Confirmando essa realidade, a nutricionista Joelma Marinho, especialista na área esportiva, avalia que em alguns casos os efeitos podem até surgir, mas a maioria acaba não conseguindo o objetivo por conta própria.

“A recomendação é de procurar um médico, nutricionista, para que sejam feitos exames laboratoriais e elaborada a dieta de acordo com suas necessidades. As dietas caseiras, até certo ponto podem funcionar. Porém logo máscara cai. Ou seja, toda dieta deve ser feita de acordo com a necessidade de cada pessoa. Só assim conseguimos ver resultados, não só na perda de peso, mas na manutenção e saúde”, afirmou.

joeAlém das dietas caseiras, os shakes se tornaram uma verdadeira febre entre os adeptos dos corpos perfeitos. As fórmulas quase milagrosas às vezes são acompanhadas por chás, que podem resultar em efeitos notáveis, mas que não são recomendados por nutricionistas.
“Nós nutricionistas trabalhamos com alimentos. Em alguns casos suplementos alimentares e fitoterápicos, ou seja, medicação a base de ervas naturais, não podemos prescrever medicamentos”, lembrou a profissional que deixou claro não prometer milagres.
Joelma Marinho ainda destacou que exercícios físicos e a busca pela perda de peso atrelada à estética movimenta uma rede de negócios, mas também força as pessoas a tomarem medidas extremas para chegar ao “corpo perfeito”. A nutricionista lembra também que os excessos geram grandes problemas à saúde.
“Tem um lado que busca justamente a busca e preocupação das pessoas em saúde e bem estar físico. Porém, há perigos nestas atitudes por conta própria. Como esta busca é muito grande as pessoas muitas vezes fazem e tomam atitudes drásticas como dietas da moda e acabam passando fome, além de atividade física de forma inadequada e isso pode trazer vários riscos, desde fraqueza muscular, câimbras, fadiga, baixa de imunidade, alterações no humor, constipação intestinal, aumento das taxas de gordura. Não digo que seriam problemas irreversíveis, mas dependendo do caso, pode sim prejudicar e comprometer a saúde das pessoas” ressaltou.
Uma dona de casa que pediu para não ser identificada, contou o dilema sofrido ao aderir a regimes e atividades físicas sem orientação médica, que a levaram a sofrer grandes problemas e receber um alerta sobre sua saúde.
“Eu tenho 1,73, não estava nem tão pesada, cheguei a 79kgmas, eu me achava imensa e comecei a passar fome mesmo porque queria. Mas, para os outros eu mostrava que estava bem. Por várias vezes fiz exercícios sem comer, a vista escurecia mas eu costumava fazer isso sozinha. Só parei quando dei entrada na emergência do hospital desidratada, com falta de ar.Mesmo relutante, disse ao médico o que vinha fazendo e ele me deu um aviso. Se eu não mudasse essa estratégia quando deixasse o hospital, iria morrer. Eu parei e de fato me recuperei, perdi peso porque aceitei mudar, mas não me orgulho do que fiz. Me arrisquei”, lembrou.
Justamente nesse ponto, a nutricionista aponta que não se trata apenas de fatos positivos isolados, mas de um conjunto que irá resultar na perda de peso. “O processo de emagrecimento é o conjunto. Depende do foco, disciplina, atividade física, horas de sono, stress, alimentação, hormônios e com certeza o emocional é sim fundamental no processo”, finalizou.

Histórias de luta, sofrimento e vitórias também foram relatadas

Famílias diferentes, trabalhos diferentes, sofrimentos parecidos e objetivos distintos. No mundo que busca o bem estar, muitas histórias se cruzam mesmo sem o conhecimento umas das outras.
Uma das entrevistadas pode comemorar a própria vida. Após sete meses e após passar por uma mudança radical, representada não apenas pela perda de peso, mas, por uma decisão que mudou a sua forma de viver e enxergar o mundo.
Em agosto de 2013, Thaisa Baía chegou a pesa 94,60. Em março de 2014, são 22kg a menos, que acima da perda, mostra a superações, após anos de sofrimento e falta de motivos para sorrir.

“Certo dia eu estava na mesa de um restaurante almoçando com a família,quando meu filho me abordou e começou a chorar dizendo que não queria me perder, pois eu estava me matando aos poucos com o prato recheado de batatas fritas e pastel chinês. Estava com sérios problemas de saúde, pressão alta, glicose alta e enxaquecas diárias, fora o mau humor e a indisposição”, lembrou.

A constatação sentimental de um problema físico forçou Thaisa a procurar especialistas e atividades que de fato, pudessem a mudar a sua vida. Mas, até traçar o caminho da felicidade, alguns caminhos foram tortuosos nesse período.

“Foi muito difícil, pois exercícios físicos e hábitos alimentares saudáveis nunca fizeram parte da minha rotina. Quando lembro que eu acordava às 4hs da manhã para chegar 05h30min na academia. Ia dirigindo e as lágrimas caindo. Morrendo de sono e preguiça e me perguntando: porque tem que ser assim? Sofria calada, mas com muita vontade de mudar a minha vida e trazer alegria novamente para todos que me cercam”, comemora emocionada.
tha
Com um longo caminho a seguir, Thaisa Baía já comemora mostrando o sorriso que há tempos atrás, não brilhava da mesma forma. “Já eliminei 22 kg e junto com esses eles, também eliminei o sedentarismo, os riscos a saúde, a tristeza no olhar, o mau humor e as enxaquecas. Ganhei vida nova, sou uma mulher mais feliz, com a autoestima elevada, participo de competições de corridas de rua, corridas de aventuras, tenho uma alimentação balanceada. Meu filho e meu marido estão orgulhosos de mim e isso me deixa muito feliz. Quando eu pensava que estava tudo perdido, apareceram anjos na minha vida que estão me ajudando a superar meus medos e vencer a obesidade.. E com esse depoimento espero também fazer esse papel de anjo na vida de pessoas que necessitam mudar de vida, viver feliz e com saúde”, comemorou.

Colega de treinos de Thaísa, a policial civil, Juliane Portela também mostra superação. Talvez, o sofrimento não tenha sido o mesmo da companheira de treinos, mas, como diz o ditado, “cada um sabe a cruz que carrega”.

Seguindo essa linha, a jovem enfrentou outros problemas, dessa vez de ordem particular para decidir mudar o estilo de vida. “Exatamente no dia do meu aniversario de 36 anos, novembro passado, ao fazer reflexão sobre o término de mais um ciclo de vida, senti a necessidade maior de olhar para mim. Sempre fui sedentária, nunca pratiquei esporte algum, cabulava até a educação física na escola. Após o nascimento do meu segundo filho, hoje com dois anos, não me sentia satisfeita com o que via no espelho, quanto com o que eu fazia de minha vida, embora todos dissessem que eu estava bem para minha idade. Vivia de casa par ao trabalho, sem vida social ativa, nunca fui muito de sair e não bebo. Antes já tinha feito alguns regimes sem orientação e cheguei a emagrecer 10 kg. Mas ainda não estava satisfeita, ainda sobravam 10 kg na silhueta que não me agradava”, revelou.
Passados meses de práticas, a redução de 81 para 64 quilos, a felicidade ficou estampada no rosto e foi comprovada pelas boas escolhas. “Ter encontrado profissionais altamente capacitados, foi de grande importância nesse processo. O incentivo e a boa orientação são primordiais para uma modificação saudável de vida. Parei de dizer eu não consigo, eu não faço, eu não sei, eu não gosto. Parei de criar obstáculos e medos que não me levavam a lugar algum. Fiz as pazes comigo mesma e prometi que ia fazer de tudo para ficar bem. Tracei metas e me conscientizei que de nada adiantaria ficar dizendo que eu queria isso ou aquilo, se ficasse sentada esperando o tempo passar. O que tenho pra dizer é que nós somos responsáveis pelas nossas conquistas ou perdas. Tudo é escolha, você é quem escolhe ficar bem ou ficar mal. Hoje, sirvo de incentivo para as minhas amigas, como costumo dizer, não quero ser motivo de inveja, mas sim, de exemplo. Estou sempre à disposição delas para passar informações, mas deixando claro que cada pessoa tem um organismo diferente e que precisa de orientação individual. Podemos ficar bem, sem gastar muito e sem sofrer, bastar mudarmos nossas prioridades. Hoje minha prioridade sou eu”, afirma.
theEm mais uma história de superação, pesando 162quilos, com uma família para sustentar, um trabalho que exige do profissional e uma barreira chamada excesso de peso. Quem passou por tudo isso e vem superando com louvor, é o radialista e jornalista Wyderlan Araújo, conhecido principalmente na área esportiva, o “Canhão do Rádio”, ganhou destaques nos últimos meses pela superação impressionante, emoção e desejo pela vida.
“Fiquei decidido a mudar de vida porque tomei conhecimento que minha saúde estava comprometida e quando a balança marcou 162 kg fiquei muito envergonhado. Em seguida, escutei meu preparador físico falando que meu grau de obesidade era mórbido, confesso que fiquei incomodado com essa palavra, que na verdade resumia muito bem minha situação. Também me lembro que na hora fiz uma pergunta para mim mesmo: “Como deixei minha situação chegar a tal ponto? Pensei na família, nos filhos principalmente, e acabei decidindo em dar um basta na minha vida sedentária. “Outro detalhe, o sonho de ser um exemplo para os outros, também me motivou na mudança e a corrida de rua foi fundamental nesta realização pessoal.”, comentou.
A partir deste momento, Wyderlan participou de um reality show denominado “Saúde em Sintonia”, organizado e patrocinado pela conhecida loja “Aby’s Sports”, que uniu profissionais da área de saúde, como nutricionista, cardiologista, personal trainer, psicóloga e fisioterapeuta, além de apoiadores como academia e fornecedores de suprimentos alimentares.
Toda essa união de forças, colocada a mostra, sem vergonha do excesso de peso e com orgulho pela coragem, para toda a rede internacional de computadores e também na televisão, ajudou, mas não tornou fácil a batalha, diante das dificuldades que sofreu.
“Tinha dificuldades para dormir, acordava mal humorado, com preguiça constante para executar tarefas básicas como amarrar um tênis, indisposição sexual, dificuldade na fala, dores no peito, sensação de tontura, aumento descontrolado de pressão, dores nos tornozelos e joelhos”, contou.
Alimentação seguida à risca, atividades físicas cumpridas e apoio da família. Tudo isso agilizou o processo de renascimento do “Canhão” do rádio, que voltou a brilhar e hoje comemora não só a saúde, mas a vida.
“Um momento indescritível. Hoje me sinto feliz, sou como um exemplo de superação, pois jamais usei medicamentos para acelerar o processo e atingir meus propósitos, mesmo assim, prefiro continuar buscando uma melhor qualidade de vida sem pressões psicológicas para superar minhas deficiências, mas posso afirmar que hoje sou um cara completamente realizado e motivo de orgulho para muitos que fazem parte da minha vida”, comemorou.

Por Paulo Chancey Junior
Fonte: CadaMinuto

Esta entrada foi publicada em Notícias. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>